| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

DIÓGENES
Desde: 15/07/2005      Publicadas: 655      Atualização: 10/01/2016

Capa |  CULTURA  |  HISTÓRIA  |  OPINIÃO  |  TOQUES


 CULTURA

  30/03/2009
  0 comentário(s)


AMANHÃ VAI SER MAIOR - por ELAINE TAVARES, jornalista

Tudo bem, a gente sabe o quanto as pessoas são engolidas pela mais-valia ideológica que se expressa na televisão, no trabalho, em casa, na escola. Mas o papel de quem luta é perseverar e buscar desvelar o que está escondido.

AMANHÃ VAI SER MAIOR - por ELAINE TAVARES, jornalista
Amanhã vai ser maior
Por Elaine Tavares " jornalista

Foi como sempre é. Estudantes, sindicalistas, lutadores sociais e poucos populares. Em meio ao nada e ao nojo, ali estava, como sempre, a flor. Essa que sempre re-nasce, a despeito de todas as prostrações. Um grupo não tão grande, mas aguerrido e seguro. Uma gente que sabe o que quer e o que não quer. Nesse caso, o da luta pelo transporte público de qualidade, não querem o caos que aí está, e além de tudo caro. E querem o transporte seguro, tranqüilo, ágil, barato.

Ali estavam eles buscando encontrar o apoio das gentes, estas que sofrem o transporte coletivo todos os dias. Os que ficam nas filas, os que amargam o trajeto em pé, no calorão, os que se vêm obrigados a irracionalidade das baldeações. Enfim, os usuários que reclamam nas longas esperas dos terminais. Mas, o que acham os que lutam? A velha lógica da Geni, tal qual cantou Chico. Olhares furiosos, xingamentos, papéis amassados com fúria. "Estão aí atrapalhando tudo", dispara uma mulher. Jogam bosta na Geni.

Mas, quando a Geni salva o mundo, como na música, e como fizeram os estudantes e outros tantos lutadores anônimos em 2004, na Revolta da Catraca, estes mesmos furiosos usufruem das vitórias. Quem se lembra que em 2004 a passagem mais cara tinha ido para três reais? E que foi a luta das gentes, unidas, que fez a tarifa baixar? Quem se lembra desta estrondosa vitória do povo amalgamado em comunhão? Pois é! O povo unido, venceu... E todos agradeceram àqueles afoitos jovens que se arriscaram, que apanharam e fizeram acontecer a vitória. Tudo bem, a gente sabe o quanto as pessoas são engolidas pela mais-valia ideológica que se expressa na televisão, no trabalho, em casa, na escola. Mas o papel de quem luta é perseverar e buscar desvelar o que está escondido.

Neste primeiro dia de manifestação também foi como sempre é. Em menos de um minuto de junção do povo e lá já estava a polícia, "para manter a ordem". A ordem dos empresários, dos dirigentes municipais. Não a ordem do povo que quer melhoria e tarifa menor. Eram poucos os milicos, mas do batalhão de choque. Já chegaram empurrando, rasgando faixas, com armas de choque soltando faíscas e aqueles olhares de ódio profundo. Sempre me tocam aqueles olhares. Uma expressão horrenda. São olhos fixos, não vêm em quem batem, estão além do ser. Vazios e cheios ao mesmo tempo. Um paradoxo. Pergunto-me sobre o tipo de treinamento que devem receber. Que coisa tremenda!

A galera não se achica, segue cantando, batucando e ocupa a rua em caminhada. Um P2 filma os manifestantes, um a um, e ri, debochado, quando é apontado como milico. Os soldados do choque acompanham, com aquele mesmo olhar. Depois, na hora da dispersão eles vagueiam pelo terminal de ônibus, ostensivos, buscando os incautos que vão tomar o coletivo sozinhos, sem proteção. É uma boa forma de provocar medo. Também são colocados alguns policias militares nas filas que se avolumam dentro do TICEN. Para que não haja o catracaço (que é quando o povo pula a catraca e não paga a passagem). Uma mulher, com cara de quem chegou de marte, pergunta ao policial..
- O que houve? Alguém morreu?
- Não, são os estudantes.
- Bando de vagabundos.

E segue, na fila, feito um cordeiro, por mais de 40 minutos. Vez em quando ela bufa embora pareça não compreender que "os vagabundos" querem melhorar, inclusive, a vida dela naquele terminal. O dia termina e a gurizada volta pra casa. Olham de soslaio, arredios, procurando os camuflados. Mas, não temem. Sorriem e esperam. Amanhã vai ser maior.

  Autor:   ELAINE TAVARES


  Mais notícias da seção Geral no caderno CULTURA
10/12/2011 - Geral - A IRMANDADE DA IMPUNIDADE - FAUSTO BRIGNOL
O governo Lula/Dilma, desde que tomou posse, em 2003, tornou-se muito amigo dos militares. É o governo civil que os militares sempre desejaram. Podem pesquisar, podem descobrir, podem divulgar, mas não podem punir....
21/12/2009 - Geral - É A TREVA: RUMO AO DESASTRE - LEONARDO BOFF
Aqui surge a segunda lição que importa tirar da COP 15 de Copenhague: o grande vilão é o sistema do capital com sua correspondente cultura consumista. Enquanto mantivermos o sistema capitalista mundialmente articulado será impossível um consenso que coloque no centro a vida, a humanidade e a Terra e se tomar medidas para preservá-las. ...
26/06/2009 - Geral - TEMPO, TEMPO, TEMPO, TEMPO... - texto de MARLI GONÇALVES
Naquela época, final dos 60, embora eu ainda fosse bem pequena, via que era tudo mais ágil, mais divertido, as coisas aconteciam mesmo que debaixo de porrada....
24/04/2009 - Geral - AH! O LAGO TITICACA! - texto de URDA ALICE KLUEGER
Meu coração batia forte de emoção (e de falta de oxigênio) enquanto negociava com um barqueiro um passeio pelo Lago. Embarcamos, eu a molhar a mão na água límpida e gelada da esteira do barco, crente estar vivendo um dos maiores sonhos da minha vida " quando o barqueiro voltou. O passeio todo durara 15 minutos, e não houve o que fizesse o safado do...



Capa |  CULTURA  |  HISTÓRIA  |  OPINIÃO  |  TOQUES
Busca em

  
655 Notícias